panama-papers-banco-de-dadosO Panama Papers é considerado o maior caso de vazamento de dados da história: mais de 11,5 milhões de arquivos, totalizando 2.6TB. Agora, parte das informações contidas nos documentos, está disponível para pesquisa online.

Se é ruim para uma empresa se envolver num incidente de segurança da informação dessa magnitude, expondo detalhes dos seus clientes e documentos confidenciais, é ainda pior quando jornalistas do mundo inteiro se debruçam sobre o caso e divulgam informações sobre as atividades controversas da empresa.

No caso em questão, os documentos revelariam indícios de como o escritório de advocacia Mossack Fonseca teria ajudado seus clientes a evitar sanções, pagar tributos e a lavar dinheiro. O escritório nega as acusações e afirma que opera há 40 anos legalmente e que nunca foi acusado de nenhum crime. Certamente, ser acusado de atividades ilícitas, mesmo que a inocência seja presumida, afeta a imagem de qualquer organização  e pode afastar muitos clientes.

Mas, o pior de tudo, é que grande parte dessas informações pode ser pesquisada online. Nesta segunda-feira, o ICIJ publicou uma base de dados do Panama Papers, a qual pode ser consultada por qualquer um de nós. A base de dados exibe as redes de empresas e pessoas que usavam (algumas abusavam) do sigilo dos paraísos fiscais, com a ajuda do escritório. Deste acervo não constam, contudo, documentos como trocas de e-mails ou registros de transações bancárias. O vazamento de informações abrange quatro décadas de atividade: de 1977 até o final de 2015.

Ao todo, a aplicação interativa disponibilizada pelo ICIJ revela mais de 360.000 nomes de pessoas e empresas por trás de estruturas offshore secretas em 21 paraísos fiscais ao redor do mundo.

Fiz uma consulta com alguns nomes de milionários e políticos brasileiros que aparecem nos documentos e a pesquisa me retornou informações em um formato bem interessante, que vale a pena conferir.

banco-de-dados-panama-papers
A consulta a algumas informações do banco de dados vazado pode ser realizada em https://offshoreleaks.icij.org/

 

Conclusão

Antes de tudo, é importante dizer que o uso de offshores é legal, desde que declarado para o fisco.

Muitos estão adorando o desconforto que o incidente de segurança trouxe à Mossack Fonseca e aos seus ricos, influentes e poderosos clientes.  Mas eu te pergunto: a sua empresa tem tomado medidas protetivas para não virar notícia por causa de vazamento de dados? E veja bem: o vazamento, em si, mesmo que não tenha conteúdo negativo ou ilícito, é um fato que pode abalar a reputação da sua empresa, diante dos parceiros e clientes.

Se você ainda não se preocupou com uma política de segurança da informação na sua empresa, seja ela pequena, média ou grande, está na hora de começar a agir. Você pode ser o próximo.

ASSINE NOSSO BOLETIM
Concordo em informar meus dados pessoais para recebimento da newsletter.
Junte-se a mais de 8.000 visitantes que estão recebendo nossa newsletter sobre cibersegurança.
Seu endereço de email não será vendido ou compartilhado com mais ninguém.