Pesquisa da Check Point revela que os operadores do malware ‘Black Rose Lucy’ adicionaram novos recursos à ameaça.

De acordo com a Check Point Research, o grupo criminoso por trás do desenvolvimento e distribuição do malware para Android “Black Rose Lucy” adicionou recursos de ransomware.

Originalmente o Black Rose Lucy foi projetado como um botnet. Agora, com as novas funcionalidades é possível criptografar dispositivos Android.

Por meio de uma nota enviada pelo navegador Web, surge um falso alerta do FBI. A nota informa que a vítima visitou “sites pornográficos ilícitos” e que essas informações estão sendo criptografadas e transferidas para um banco de dados do FBI.

O “resgate”, que seria a multa pelo cometimento do ilícito, é de US$ 500 e deve ser pago em três dias, do contrário a vítima enfrentará consequências legais.

Há uma tendência lenta, mas em curso, de ransomware direcionado a dispositivos móveis, já que estes tendem a ter menos recursos de segurança.


ASSINE NOSSO BOLETIM
Concordo em informar meus dados pessoais para recebimento da newsletter.
Junte-se a mais de 8.000 visitantes que estão recebendo nossa newsletter sobre cibersegurança.
Seu endereço de email não será vendido ou compartilhado com mais ninguém.