Os ataques teriam ocorrido entre janeiro e abril por meio de spear phishing.

De acordo com a empresa de segurança FireEye, um grupo de hackers vietnamitas ligado ao governo do Vietnã estariam por de trás dos ataques a várias agências chinesas na tentativa de reunir informações sobre a resposta do país ao surto da Covid-19.

O grupo conhecido como APT32, ou Ocean Lotus, é suspeito de ser responsável pelas campanhas de espionagem cibernética.

Entre janeiro e abril, por meio de e-mails spear phishing contendo malware, o grupo tentou atingir o Ministério de Gerenciamento de Emergências da China e o governo da província de Wuhan, onde o coronavírus foi identificado pela primeira vez, em dezembro de 2019.

Aparentemente, essas campanhas de spear phishing não tiveram êxito na exfiltração de dados, observa o FireEye.

O porta-voz do Ministério das Relações Exteriores do Vietnã disse à Reuters que não há fundamentos no relatório. Segundo ele, “O Vietnã proíbe todos os ataques cibernéticos, que devem ser denunciados e estritamente tratados de acordo com a lei”.

Há um clima de desconfiança generalizado entre os governos em relação à China, o que acaba por incentivar atos de espionagem.


ASSINE NOSSO BOLETIM
Concordo em informar meus dados pessoais para recebimento da newsletter.
Junte-se a mais de 8.000 visitantes que estão recebendo nossa newsletter sobre cibersegurança.
Seu endereço de email não será vendido ou compartilhado com mais ninguém.